quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Sentada, esperei por ti...

Sentei-me à espera de ti
Não esperei que viesses logo,
Mas mesmo assim esperei…
Esperei o tempo que foi preciso,
Esperei até perder a esperança…
E ali continuei, à espera.
À espera que chegasses a qualquer hora e a qualquer momento
Que viesses ter comigo,
Que sentisses que sou para ti aquilo que és para mim
E continuei à espera.
Sentada a um canto,
Sozinha…
À espera que chegasses para me fazeres companhia
À espera que de um ou outro modo,
Sentisses necessidade de vir ter comigo
E ali continuei, à espera.
Cansei-me, desisti, levantei-me e fui embora…
Pode ser que um dia venhas cá ter,
Mas já ali não estarei, à espera…
Estarei noutro sítio!


(Poderás sempre vir ter comigo,
Pois apesar de mudar de sitio,
Ali continuarei à tua espera…)

3 comentários:

Sal Ober disse...

fantástico. Poderoso!!!
adorei. muito bom mesmo.

beijooooooo

DaiSantos disse...

ah, a espera... nao é ela o vicío, mas sim o sentimento que gera a expectativa da espera... tao expressivo. fico eu a espera de mais :)

Sal Ober disse...

ola afilhadita. olha elegi o teu blog para op premio dardos. visita o meu blog e ve o teu blog eleito.
um beijo enorme